[ editar artigo]

Como ser um franqueador em 8 passos

Como ser um franqueador em 8 passos

Neste artigo vou apresentar o passo a passo que você deve seguir para transformar seu negócio em franquia e assim saber como ser um franqueador.

O primeiro é fazer uma análise de franqueabilidade, se quiser fazer a sua gratuitamente é só responder as perguntas deste formulário: analise de franqueabilidade.

Se você tem um negócio de sucesso, provavelmente já deve ter ouvido esta pergunta:

É franquia?

Esta foi a pergunta que inspirou muitos de meus clientes a pensar em franquear o seu negócio. Talvez este seja o seu caso. Ou talvez, o seu caso seja seja o seguinte: Desde o momento em que teve a ideia do negócio, já pensava transformá-lo em uma rede de franquias.

Independente de como a ideia surgiu, as primeiras dúvidas que recebo de pessoas interessadas em franquear seus negócios são:

  • Meu negócio pode ser uma franquia?
  • Por onde eu começo?

Como estas são dúvidas frequentes resolvi escrever este artigo para explicar tudo o que você precisa saber para transformar uma empresa em franquia.

Se você ainda não tem a empresa, mas já pensa em criá-la para ser uma rede de franquias recomendo a leitura do artigo Como Abrir uma Empresa para ser Franquia

Embarque comigo nesta jornada sobre como ser um franqueador. E não deixe de colocar suas dúvidas nos comentários, ok?

Minha empresa pode virar uma franquia?

Esta é uma decisão muito importante para o futuro de um negócio. A formatação da franquia é o momento em que uma marca ganha escalabilidade e aumentam as possibilidades de rentabilidade do negócio. No longo período como consultor de franquias, observo que quase todos os negócios podem ser franqueados. O desafio é encontrar o modelo de franquia adequado. Além da necessidade de avaliar alguns requisitos básicos do negócio.

Estes requisitos são:

  • Mercadológicos;
  • Financeiros e;
  • Organizacionais

Com base nesses critérios, eu formulei um método de avaliação que resulta em um relatório sobre o grau de franqueabilidade do seu negócio.

 

Para ter o resultado do teste de franqueabilidade do seu negócio, basta clicar em "começar avaliação" e preencher o formulário com suas informações pessoais e com as informações sobre sua empresa. Em alguns dias eu te retornarei por e-mail com o resultado.

Entenda quais critérios avaliados e os detalhes sobre cada um deles.

Requisitos Mercadológicos:

Em relação ao mercado, você precisará responder de maneira satisfatória as seguintes questões:

  • Meus produtos/serviços têm diferenciais suficientes para que os franqueados tenha vantagem competitiva em relação aos concorrentes? (este é um ponto de partida fundamental, se não tiver isto bem claro, precisa trabalhar nesta questão)
  • Minha franquia terá diferenciais relevantes para que os interessados queiram fazer parte da minha rede? (se não souber responder isto ainda não tem problema, poderá ir amadurecendo a medida que se aprofundar no conhecimento sobre franquias).

Requisitos Financeiros

Estes requisitos são fundamentais, se o negócio não for bom para franqueador e franqueado, o modelo está errado. Devem ser realizadas simulações para as unidades franqueadas e para a empresa franqueadora. Nestas simulações deve obter alguns números e analisar se são interessantes:

  • Para a franqueadora: quantidade de franquias necessárias para atingir o ponto de equilíbrio, lucratividade e rentabilidade da sua franqueadora.
  • Para o franqueado: o negócio deve ter lucratividade e rentabilidade atrativas e um payback aceitável. Lembre-se de descontar o valor que ele terá de pagar royalties e contribuição para fundo de marketing para fazer estas simulações.

Requisitos Operacionais

Estes requisitos são os mais fáceis de serem resolvidos. Só dependem de seu esforço para aprender e implementar. Para replicar o negócio através do franchising os processos devem estar bem definidos. Isto significa que devem ser padronizados e formalizados. Processos "na cabeça" não são suficientes para franquear. Além dos processos das unidades franqueadas devem ser estruturados os processos do franqueador.

Sei que esta parte de analise é mais chata, você deve estar querendo partir logo para as informações sobre formatação.

Preencha o formulário que preparei e muito em breve receberá gratuitamente um relatório sobre a análise de franqueabilidade da sua empresa.

Atenção na hora de preencher o seu e-mail no formulário.

Realizando consultoria pelo Sebrae já acompanhei muitas micro e pequenas empresas tendo sucesso como franqueadoras. Algumas como microfranquias outra como franquias tradicionais. Ser pequeno não é motivo para não ser franqueador.

Agora que já sabe se o negócio é franqueável, vamos conversar sobre a formatação da franquia.

Por onde começar?

Formatar é transformar um negócio em uma franquia. Este processo é complexo, mas com o auxílio de um roteiro adequado, muita informação, muita orientação e muita dedicação é possível chegar ao sucesso.

Uma das coisas mais difíceis é conseguir visualizar tudo o que é necessário para transformar uma empresa em franquia. No começo do meu trabalho, como consultor de franchising (há muito tempo atrás...) era bastante complicado encontrar informações sobre o passo-a-passo para formatar uma franquia. Depois de ralar bastante, consegui ter uma visão ampla e coloquei todos os aspectos de uma franquia em um mapa mental. Usei, e continuo usando nas minhas consultorias, e agora compartilho com você:

MAPA DO PROCESSO DE FORMATAÇÃO DE FRANQUIA

mapa mental formatação de franquias Mapa mental com roteiro para formatação de franquia. Elaborado por Erlon Labatut

Como já comentei, o processo é complexo. É inviável tratar todos os temas em detalhes em um único artigo. Abordarei todo o processo neste post e irei detalhando em outras publicações aqui e também no meu canal no YouTube. Se você ainda não se inscreveu, aproveite para se inscrever agora.

 

 

É muita coisa e são necessários conhecimentos específicos e experiência. Para fazer tudo isso você pode pesquisa, estudar e trabalhar bastante ou contratar uma consultoria em franquia. A escolha depende da sua capacidade de investimento, da sua experiência em gestão e do tempo que poderá dedicar ao projeto para franquear a empresa.

Por favor: Não caia na tentação de fazer só o "contrato de franquia" e começar a vender. Cada detalhe precisa ser planejado e estruturado. Isso é formatar a franquia. Os empresários que começam a franquear tendo apenas a parte jurídica (pré-contrato de franquia, contrato de franquia e COF - Circular de Oferta de Franquia), acabam depois passando mais tempo resolvendo problemas na justiça do que gerenciando o negócio. Se a formatação for bem feita e a gestão da franqueadora for adequada dificilmente terá problemas jurídicos.

Quanto custa para transformar minha empresa em uma franquia?

Ser um franqueador é um ótimo negócio, mas para que a rede cresça saudável é preciso fazer uma formatação de franquia bem feita.

O valor do investimento dependerá de diversos fatores como:

  • Grau de maturidade dos processos de gestão e operação da empresa
  • Complexidade do negócio
  • Necessidade de serviços de outros profissionais (nutricionista, arquiteto, etc.)
  • Conhecimento que o empresário já possui sobre gestão e franchising
  •  Estruturação da Franqueadora
  • Divulgação da Franquia

Para dar uma ideia, o valor do trabalho de consultoria para formatação (sem contar serviços de advogado, arquiteto, e demais profissionais necessários para pontos específicos do trabalho) de uma empresa séria, associada à ABF - Associação Brasileira de Franchisinggira em torno de R$50.000,00. Essa é apenas uma estimativa com base nos vários fatores que impactam o processo de formatação. Alguns projetos chegam a custar muito mais do que isso.

Se este valor estiver muito acima da capacidade de investimento do seu negócio, não desanime! Estou trabalhando justamente para democratizar o acesso às informações necessárias sobre como montar uma franquia de maneira séria, profissional, e com valor acessível.

O valor cobrado por uma consultoria em franchising é baseada nas horas de trabalho necessárias,  no conhecimento adquirido e na experiência do profissional no setor. Entendo que muitos empreendedores, apesar dos seus negócios lucrativos e vontade de expandir sua empresa são relutantes em investir em uma consultoria no processo de franquia. No entanto, como mencionei anteriormente, o processo de transformação de um negócio em franquia é uma possibilidade de ganhar escalabilidade e aumentar as margens de ganho de um negócio.

Vamos ver então quais são as alternativas.

Como criar uma franquia com pouco dinheiro

Se você tem condições de contratar uma boa empresa de consultoria para auxiliá-lo no processo de formatação, não pense duas vezes em seguir este caminho. E se estiver em procurando por formatação de franquias em Curitiba, conte com a FRANQUEADOR.COM.

Agora se você não tem disponibilidade financeira para isto no momento, mas tem muita vontade e disposição para aprender continue comigo que vou te mostrar como montar uma franqueadora. Quero te dar uma mão para ajudar a criar uma rede de franquias.

Adoro esta frase da educadora Janet Erskine Stuart, é de 1882, e continua super atual!

Não espere por circunstâncias ideais, elas nunca chegam.

Ficamos esperando as condições ideais (tempo disponível, estabilidade financeira, reserva de caixa, equipe estruturada) e assim nunca vamos saber como criar uma rede de franquias de sucesso. Pensamos que seria muito mais difícil do que realmente é.

Mesmo que não tenha o objetivo de começar a franquear neste momento, é positivo saber como ser um franqueador desde já.

Já vi casos de empreendedores que criaram negócios bem legais, mas ficaram esperando as condições ideias. E de repente surge um concorrente. Este concorrente tem menos conhecimento, menos experiência e o seu produto/serviço é inferior, porém sabe como criar uma franquia. Em pouco tempo começa a vender franquias e cria a sua rede. A partir daí tem duas possibilidades.

  • Ele sabia mesmo como montar uma franqueadora e o negócio vira um sucesso. Nesse caso, fica difícil conseguir recuperar o tempo perdido.
  • Ele achava que sabia e a franquia vai muito mal. Talvez isso seja até pior pois acaba queimando a imagem do negócio e o caminho para outras marcas desenvolverem franquias neste segmento fica mais árduo.

A lição aprendida aqui é se preparar bem, conhecer a fundo como funciona o mundo das franquias, e montar assim que puder a sua franquia.

Formatação de franquia

Se você chegou até aqui, realmente está determinado a aprender como ser um franqueador. Com todo esse conhecimento até agora, você já deixou muito concorrente para trás. Parabéns!

Ainda temos muita coisa pela frente, vamos lá!

Lembre-se que antes de começar a formatar deve ter ter realizado a análise de franqueabilidade, para compreender o quão perto o seu negócio ou marca está de se tornar uma franquia. Faça agora mesmo o teste de franqueabilidade

COMECE A AVALIAÇÃO DO SEU NEGÓCIO AGORA

1. Desenho do modelo de negócio da franquia

O primeiro passo é fazer o desenho do modelo de negócio da franquia. Isso significa ter bem definido como o negócio vai funcionar. Quando você começa a pensar em como ser um franqueador precisa construir todo um novo negócio.

No desenho deve ser definido que produtos o franqueado poderá vender, quem serão os fornecedores, qual será a sua relação, como franqueador com os fornecedores, que treinamentos e suportes serão oferecidos, como será tratada a questão do território, qual o perfil do franqueado desejado, qual será a estrutura necessária para cada unidade, entre outros pontos relevantes para o negócio.

Para elaborar este desenho sugiro a utilização da ferramenta CANVAS, apresentado no livro BMG - Business Model Generation, de Osterwalder e Pigneur. Desenhe os modelos de negócio do franqueador e franqueado.

canvas

Os pontos críticos para a elaboração do modelo de negócio são a proposta de valor e o segmento de clientes. Isto vale para franqueador e franqueado.

Esta etapa esta focada em conceitos, definições e ideias. A seguir isto deve ser traduzido em termos financeiros. O plano de negócios é uma ótima ferramenta para isto.

2. Plano de negócios

As primeiras perguntas dos interessados em comprar uma franquia são: quanto tenho que investir, qual o prazo de retorno, quanto poderei ganhar por mês... para responder estas e outras perguntas é necessária a elaboração de um plano de negócios com uma detalhada e precisa simulação financeira. A base para esta simulação deve ser a unidade piloto.

O negócio precisa ser bom para franqueado e franqueador. A taxa de franquia, os royalties e demais receitas devem ser suficientes para arcar com todos os custos da franqueadora. Entre estes custos estão: consultoria de campo, suporte ao franqueado, etc.

Obviamente, além de cobrir os custos da franqueadora, o resultado financeiro deve gerar lucro. Não se espera lucro já nas primeiras unidades, mas deve ser realizado o calculo do ponto de equilíbrio para saber quantas franquias são necessárias que não tenha lucro e nem prejuízo e quantas para atingir o lucro esperado.

Nem sempre ser franqueador é o melhor caminho para crescer.

Este plano de negócios deve conter um simulação financeira que permita identificar o DRE (Demonstrativo de Resultado do Exercício), payback (tempo de retorno), lucratividade e rentabilidade do negócio.

3. Transferência de Know-How

Uma das bases principais do sistema de franquias é a transferência de know-how. Isto significa: passar para o franqueado o conhecimento sobre o negócio.

suporte ao franqueado

Este conhecimento envolve a implantação da unidade, a gestão e a sua operação.

Saber como ser um franqueador é saber como transferir know-how!

Para transferir know-how de forma adequada existe um tripé que deve ser bem estruturado:

  • Manuais
  • Treinamento
  • Suporte

Manuais de Franquia

Todo o conhecimento sobre o negócio deve ser formalizado (registrado por escrito)  e reunido em manuais. É verdade que as pessoas têm pouco habito de ler manuais. Não se espera, necessariamente, que o franqueado e sua equipe leiam os os manuais de capa a capa.  O  que se espera é que seja uma fonte rica e atualizada de informações sobre como operar e gerir o negócio para ser consultada quando necessário, e também que sirva como base para todos os demais conteúdos, ferramentas e ações que permitiram a mais bem-sucedida transferência de know-how.

Alguns empresários acreditam que ter os manuais da é suficiente para virar uma franquia. Aprender como ser um franqueador é muito mais do que isso.

Didaticamente os manuais do franqueado podem ser divididos em 3 grandes temas:

  • Manual de Implantação
  • Manual de Gestão
  • Manual de Operação

Treinamento para Franqueado e Equipe do Franqueado

Na maior parte dos negócios, são necessários treinamentos para que o franqueado e a sua equipe realmente sejam capacitados na forma de trabalhar esperada.

Os treinamentos devem ter como base o conteúdo dos manuais.

Preferencialmente a equipe do franqueado deve ser treinada por ele ou por empresa contratada homologada pelo franqueador. Se a empresa franqueadora for treinar a equipe do franqueado, devem ser tomados cuidados para não geram qualquer risco de vínculo.

A tendência é que os treinamentos sejam cada vez mais realizados à distância, usando ferramentas de EAD.

Suporte

No dia a dia do negócio, dúvidas surgem e também acontecem desvios dos padrões. Para buscar o melhor desempenho possível e a manutenção dos padrões estabelecidos pelo franqueador devem ser criados diversos mecanismos de suporte.

Estre os mais utilizados estão: atendimento ao franqueado através de telefone, e-mail, video-conferência (skype), serviços de mensagem (whatsapp). Visitas ao franqueado realizado por consultor de campo, visitas de monitoramento realizada por cliente oculto. Atualização de processos e ferramentas.

O suporte no franchising é dividido basicamente em duas categorias:

a. Suporte Inicial:

É aquele realizado para auxiliar a escolha do ponto, implantação da unidade e início da operação.

b. Suporte Contínuo:

É aquele que acontece a partir do momento em que o negócio já está em operação.

O planejamento e estruturação do suporte deve estar formalizado nos processos do franqueador.

4. Processos do franqueador

Quando você vai franquear você terá um outro negócio que é muito diferente do seu negócio inicial. Por exemplo no caso de alguém que tem uma hamburgueria, o negócio é fazer e vender hambúrguer, agora este mesmo empresário quando se torna um franqueador passa a vender "modelos de negócio" em vez de hambúrguer. Consegue perceber que os processos serão bem diferentes?

Assim você precisa definir processos de como ser um franqueador. Estes processos envolvem toda a atividade da franqueadora. Entre os principais:

  • Homologação de Fornecedores
  • Fortalecimento da Marca
  • Divulgação da Franquia
  • Plano de Expansão
  • Seleção de Franqueado
  • Suporte Inicial
  • Suporte Continuo
  • Gestão da Rede
  • Gestão da Franqueadora (Marketing, Recursos Humanos, Finanças)

5. Documentos Jurídicos

Toda a relação entre franqueado e franqueador deve ser estabelecida dentro da legislação e formalizados através de um contrato que reflita exatamente o que foi negociado e a forma de atuação da franqueadora.

Para saber como ser um franqueador de sucesso precisará conhecer também os seguintes documentos: Circular de Oferta de Franquia, Pré-Contrato de Franquia e Contrato de Franquia.

Circular de Oferta de Franquia

A legislação brasileira possui uma lei específica (nº 13.966/19) que substituiu a lei 8.955/94, sobre o funcionamento do sistema de franquias. Um dos pontos essenciais definidos por esta lei é a Circular de Oferta de Franquia (COF). Este documento é obrigatório e deve conter uma série informações sobre o negócio e sobre o modelo de franquia adotado. Todo franqueador precisa elaborar cuidadosamente sua COF para que ela atenda as exigências da lei e seja efetivamente um instrumento que permita ao interessado ter acesso as informações que demonstrem como é ser um franqueado da rede.

Como a COF apresenta informações importantes sobre o negócio não pode ser fornecida sem critérios. Este documento só deve ser entregue para pessoas realmente interessadas. No momento de entregar a Circular deve obrigatoriamente registrar esta entrega através de um protocolo assinado pelo interessado ou por AR dos Correios.

Somente após 10 dias do recebimento da COF é que poderá ser assinado o Contrato de Franquia (ou o Pré-Contrato) e recebido qualquer valor referente a adesão ao sistema de franquia da marca.

Contrato de Franquia

A lei de franquias permite que você estruture a sua franquia da maneira que achar melhor (respeitando alguns limites, obviamente). As regras são definidas pelo franqueador, mas depois que são estabelecidas, devem ser rigorosamente cumpridas. Estas regras de funcionamento da sua franquia são estabelecidas no contrato de franquia.

No Contrato de Franquia devem ser abordados todos os itens da relação entre franqueado e franqueador. Deve pensar em tudo sobre como ser um franqueador para fazer um contrato completo. Entre os temas que não podem faltar estão:

  • Valores
  • Produtos/Serviços
  • Território
  • Deveres do Franqueador
  • Deveres do Franqueado
  • Penalidades
  • Situação após fim do Contrato

O ideal é você ter um excelente contrato. E a franquia funcione tão bem que não precisa usá-lo.

Pré-Contrato de Franquia

Como a relação de franquia é PJ (Pessoa Jurídica) com PJ e normalmente o novo franqueado ainda não tem uma empresa constituída, é assinado um pré-contrato de franquia.

O pré-contrato valerá desde o momento da sua assinatura e terá uma duração pré-definida que normalmente estará ligada a inauguração da unidade do franqueada.

O pré-contrato de franquia estabelecerá como acontecerão as coisas neste período, quais serão as obrigações e deveres de franqueado e franqueador. Todo o processo desde a busca de ponto até a inauguração deve ser contemplado.

6. Formalização da franqueadora

Para que possa atuar legalmente no país, toda empresa deve possuir um CNPJ e um alvará de funcionamento. No contrato social da empresa aparece o objeto (que é a atividade que ela realiza). A atividade da unidade piloto será alo como: lanchonete, comércio de artigos esportivos, clínica odontológica, academia de ginástica, etc. Para cada atividade existe um código CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas).

Assim se você quer saber como ser um franqueador precisa fazer uma alteração no contrato social, ou o que é mais indicado: abrir uma nova empresa.

Esta nova empresa será a sua franqueadora. O CNAE da franqueadora será: Gestão de Ativos Intangíveis Não-Financeiros. Falo mais sobre a formalização neste outro artigo: Como Emitir CNPJ da Franqueadora

7. Plano de Expansão da Franquia

Como ser um franqueador sem ter franqueados? Não tem como. Então precisa planejar a expansão da sua rede.

Precisa definir para onde quer crescer, quanto quer crescer, em que ritmo e como?

Se sua sede é em São Paulo, o primeiro franqueado é de Manuas e o segundo é de Porto Alegre, o seu início será bem complicado.

Lembra do plano de negócios do franqueador que comentei no passo 2 deste post sobre como ser um franqueador? Qual o ritmo de crescimento que o negócio deve ter para que seja lucrativo e viável para você?

Para crescer no ritmo que quer e nas regiões adequadas deverá definir como será sua estratégia de comercialização. Neste momento devem ser definidas as formas de divulgação e de captação de leads.

expansão de franquia

Lembre-se que para que a rede cresça de maneira saudável, não basta conseguir franqueados, precisa conseguir franqueados no perfil adequado para o negócio. Assim no plano de expansão deve ser contemplado também o processo de seleção de franqueados.

8. Gestão da rede

Com a franquia já em funcionamento é preciso fazer a gestão da rede de franqueados. Esta gestão envolve atividade como realizar consultorias de campo, ter um call center para atender franqueados e clientes finais, desenvolver ações de marketing, entre outros.

Além da gestão da rede, deve ser realizada a gestão do negócio "franqueador".

Ferramentas de gestão

A base do sucesso de qualquer negócio é o controle da sua gestão, e no caso das franquias uma interação bem ajustada entre franqueado e franqueador é a chave para isto.

Existem excelentes métodos, ferramentas e softwares no mercado que podem contribuir para isto refinar os mecanismos de gestão da sua empresa.

Transformar uma empresa em franquia é mais que formatá-la, é mais que vender franquia. É fazer uma excelente gestão da marca, da rede e do negócio. Sem ferramentas de gestão isto não vai acontecer.

Animado para seguir seu caminho de como ser um franqueador?

Espero que após ler este post (sei que ficou enorme, mas era necessário) o caminho a ser seguido sobre como ser um franqueador tenha ficado mais claro na sua cabeça.

Não tenho a pretensão em um único post (mesmo deste tamanho) de passar em detalhes tudo que é preciso para criar uma rede de franquia. O objetivo é apenas de mostrar o passo a passo de como ser um franqueador.

Para saber se sua empresa está pronta para a formatação de franquia, não deixe de fazer a análise de franqueabilidade.

 

Na trajetória para montar a sua franqueadora, muitas duvidas surgirão e precisará de mais detalhamentos e informações.

Fique a vontade para deixar suas duvidas nos comentários que irei responder assim que possível.

Desejo sucesso na sua jornada para se tornar um franqueador!

Para assistir vídeos sobre o tema, inclusive sobre os passos que apresentei aqui, inscreva-se no meu canal YouTube

 

 

Comunidade do Franqueador
Erlon Labatut
Erlon Labatut Seguir

Consultor Franquias - FRANQUEADOR.COM

Ler matéria completa
Indicados para você