Master franqueado no sistema de franquias

Master franqueado no franchising

Muitos franqueadores querem inserir no seu sistema de franquia a figura do “Master Franqueado”. Algumas vezes isso pode ser muito bom, mas em outras pode ser uma grande furada.

A primeira coisa que deve ser definida é o que se pretende com o master franqueado.

Muitas vezes vejo que o franqueador vê no “Master Franqueado” a solução de todos os seus problemas: alguém que venda por ele, que selecione por ele, que treine por ele, e que de suporte por ele. Claro que se encontrar alguém que faça isso tudo e de maneira adequada terá que pagar também de maneira adequada. Tem que ver se vale a pena!

O ideal é encontrar um modelo equilibrado em que o master franqueado realizará algumas atividades e receberá por isto, sendo interessante para ele, para o franqueador e também para os demais franqueados.

Definição de atividades do franqueador e do master franqueado

Para definir o que se pretende do master franqueado liste todas as atividades que são realizados pela sua empresa franqueadora. Identifique aquelas que seriam interessantes manter sob o seu controle e aquelas que poderiam ser delegadas para os master franqueados. Cada caso é um caso. Existem muitas variáveis envolvidas em cada modelo de franquia.

Veja este quadro de exemplo:

#inserir quadro

Depois de definir o que se pretende, deve ser definido como será remunerado.

De maneira geral a remuneração deve ser compatível com o papel exercido. Por exemplo se a participação dele é somente a partir da consultoria de campo e treinamento de reciclagem e atualização, não tem muito sentido receber parte do valor da taxa de franquia. Agora se for o responsável pelo treinamento inicial dos novos franqueados da sua região deverá sim receber uma parte do valor da taxa de franquia.

Se realizar o trabalho de divulgação da franquia e seleção de novos franqueados deverá também receber uma outra parte do valor da taxa de franquia. E assim por diante.

Perfil do MasterFranqueado

Para que o franqueador seja bem representado da marca, o perfil do masterfranqueado deve ser traçado de maneira cuidadosa e respeitado na hora de fechar parcerias neste sentido.

Dois pontos de atenção:

  1. Conhecimento da região: o master tem que conhecer a região pela qual será responsável. Muitas vezes vejo um franqueado que atua muito bem numa determinada região e acaba virando master de outra para expandir o seu negócio. Em grande parte destas iniciativas o negócio não desenvolve como esperado. Conhecer bem a região: sua cultura, suas pessoas, sua história é importante para uma expansão bem sucedida.
  2. Experiência no negócio: na minha visão só pode ser um braço da franqueador quem já tem experiência e conhece muito bem do negócio. De preferência deve ter 1 ou mais unidades franqueadas de sucesso. Na empolgação com relação ao potencial de expansão do negócio franqueador e potencial franqueado acabam “queimando etapas” e já é feito um acordo de master franqueado para uma grande região. Isto é um erro. Claro que existem exceções, mas são raras. Para não errar: começa como franqueado, aprende muito sobre o negócio, tem sucesso, vira master.

Este post tem aplicação imediata para quem já é franqueador. Se está num momento em que precisa transformar sua empresa em uma franquia leia este outro post: Passo a Passo para Transformar uma Empresa em Franquia.

Para saber mais sobre Master Franqueado assiste este vídeo:

 

Se tiver duvidas sobre este tema, ou qualquer outro relacionado ao franchising, deixe nos comentários e responderei assim que possível!

Sucesso! Até a próxima!

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *