[ editar artigo]

No futuro quase todo negócio participará de uma rede.

No futuro quase todo negócio participará de uma rede.

Todo mundo fará parte de uma rede

Foi com esta frase que comecei minha palestra para um seleto grupo de empresários do varejo. Como a maioria não fazia parte de nenhuma rede, percebi um certo desconforto na plateia. E até olhares de reprovação e de dúvida, mas isto é uma realidade e impactará todos os negócios.

Então vejo a necessidade de demonstrar porque isto irá acontecer e que posição poderá tomar.

Vamos partir do primeiro conceito: o mercado é aberto e todo mundo concorre todo mundo, não importa se você tem um negócio independente ou participa de uma rede. Certo?

Quando falo em rede, estou falando de todo tipo de grupos de negócios similares que operam sob a mesma marca e com modelos de operação similares. Existem diversos tipos de redes de negócio.

As redes podem ser associativas, nesta categoria entram por exemplos redes de farmácias que diversos empresários (cada um com uma ou mais unidades) resolvem atuar sob uma mesma bandeira, mantendo suas unidades independentes. Outro tipo são as redes próprias em que uma pessoa ou uma empresa é detentora de uma marca e é também a proprietária de todas as unidades, por exemplo o Magazine Luiza. Existem também as redes criadas e conectadas por startups como os aplicativos de motoristas, de hospedagem, de delivery etc. e as redes de marketing multinível. E por fim gostaria de citar as redes de franquias, que são as redes com as quais eu trabalho diretamente e acessíveis a todos.

Agora que já vimos que são muitas as formas de atuar em rede vamos ver algumas das principais vantagens que os negócios que fazem parte destas redes têm em relação aos negócios independentes.

Vou utilizar aqui como referência uma rede com 100 unidades.

  • Ganhos de Escala

A negociação com fornecedores é muito melhor para as redes. Basta pensar na diferença entre colocar um pedido de 1.000 copos personalizados e 100.000 destes mesmos copos. Quem conseguirá melhor preço, melhor condição de pagamento e melhor atendimento?

  • Aprendizado Acelerado

Agora imagine se surge um problema no negócio e está sozinho, vai precisar quebrar a cabeça e perder tempo, e normalmente algum dinheiro para conseguir resolver. Enquanto para quem está na rede pode consultar as outras unidades e assim ter acesso a uma solução rápida e barata de alguém que já passou pelo mesmo problema e conseguiu resolvê-lo. E mesmo que ninguém tenha passado pela mesma situação, poderá contar com a experiência e conhecimento de outras 99 unidades, além dos líderes da rede (que no caso das franquias seriam as franqueadoras), para ajudar a encontrar a melhor solução possível.

  • Amplificação do Marketing

No marketing os ganhos são incríveis. Os custos para divulgação de um negócio com qualidade, bom design, boa estratégia e boas mídias são muito altos. Acompanhe esta simulação: se um restaurante fatura R$60.000,00 por mês, e destina 2% de seu faturamento para marketing, terá R$1.200,00 reais por mês para definir estratégias, desenvolver o design, produzir material e pagar a veiculação e distribuição da comunicação. Se você está pensando que não dá para fazer quase nada com este valor, acertou. Agora imagina se estes 2% vão para o fundo de marketing da rede, teríamos R$120.000,00 por mês e a coisa muda de figura. Fica fácil perceber isto no dia a dia quando vemos a qualidade e a força da comunicação de redes de franquias, por exemplo, comparando com um negócio independente.

  • Recursos para a Inovação

A palavra chave do momento no mundo dos negócios é inovação. As mudanças acontecem num ritmo muito acelerado e investir em inovação de produtos, processos e estratégias é fundamental para sobreviver e vencer em qualquer mercado. Como consegue investir em inovação uma empresa de pequeno porte, que tem uma pequena equipe de gestão (isso quando não a única pessoa na gestão é o próprio dono) e o que sobra de lucro não permite investimentos mais arriscados, como é o caso da inovação? A resposta, infelizmente, é que não consegue. Enquanto isso, na rede, cada um colaborando com um pouco é possível investir em inovação e ter excelentes ganhos com isso. Então a pequena empresa segue competindo com redes que conseguem inovar e melhorar seus produtos, a experiência dos seus clientes e consequentemente o seu lucro.

 

Lembra que falei que todo mundo concorre com todo mundo? A questão é que as armas do pessoal que faz parte das redes são muito mais poderosas do que as de quem tem um negócio independente. A competição parece injusta, mas é assim que funciona.

Essa diferença é validade pelos números, quando pegamos o desempenho do PIB só do setor de franquias, a variação positiva é sempre maior que o PIB do país como um todo. Uma outra confirmação através dos números é obtida através da análise do crescimento do faturamento do primeiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano anterior, no varejo em geral (conforme o ICVA- Índice Cielo do Varejo Ampliado) foi de 6,2% enquanto no mesmo período no setor de franquias o crescimento foi de 7%. Poderíamos ficar horas apresentando números que indicam que a cada ano o número de negócios que faz parte de uma rede aumenta em relação aos que não fazem, mas você já entendeu que esta é uma tendência inevitável. Então a próxima pergunta é:

Qual será a sua posição?

No meu começo no Sebrae, anos atrás, quando alguém perguntava se deveria começar a empreender com um negócio próprio independente ou comprar uma franquia, a resposta que eu e os outros consultores dávamos era: depende do seu perfil, se quer mais autonomia, quer arriscar mais e também ter maiores chances de ganho monte um negócio independente, e se quiser mais segurança e estiver disposto a seguir regras compre uma franquia.

Hoje a resposta é diferente, continua sendo em relação ao perfil, mas a diferença não é se vai para um negócio independente ou vai para a franquia. É se tem perfil para franqueador ou para franqueado, porque o caminho da sobrevivência e do sucesso será fazer parte de uma rede.

Assim a pergunta a ser respondida tanto por quem está iniciando um negócio, como por aqueles já tem um negócio é: quero criar e liderar uma rede de negócios ou prefiro fazer parte da rede e receber o suporte e o know-how já bem desenvolvidos para focar na operação e no resultado?

Na minha visão não é melhor ou pior ser franqueador ou franqueado, depende realmente do jeito que você gosta de trabalhar e que mais combina com seu perfil.

Claro que tudo que estou falando sobre as vantagens dos negócios em rede, principalmente no caso das redes de franquias só tem sentido quando estamos tratando de redes bem estruturadas, sérias e lucrativas.

Para saber mais sobre as diferenças entre ser um franqueador e um franqueado e identificar qual posição é mais adequada para você veja este outro artigo.

E para saber se o se negócio tem potencial para ser uma franquia o primeiro passo é fazer uma análise de franqueabilidade.

Para entrar encontra uma boa rede de franquias acesse o Catálogo de Franquias.

Se tiver dúvida sobre este assunto deixe nos comentários que terei o maior prazer em responder.

 

 

 

 

 

 

 

FRANQUEADOR.COM
Erlon Labatut
Erlon Labatut Seguir

Consultor Franquias - FRANQUEADOR.COM

Ler conteúdo completo
Indicados para você